Magnum Wine Radio 234 – Duas ou três reflexões sobre a ProWein e exportações

Um podcast simples: reflexões sobre as exportações portuguesas conjugadas com a maior feira sobre o vinho: todos os caminhos vão dar à ProWein, tornando as noites de Dusseldorf um misto de conversas mundiais sobre vinho. E Portugal está nisto em força… Ou não fosse o 5.º país com maior representação na ProWein, num total de 383 expositores. De acordo com um estudo desenvolvido em 2018 pela Universidade de Geisenheim para a ProWein, cerca de um quarto dos especialistas alemães inquiridos planeiam incluir vinhos portugueses no seu portefólio no futuro. Alargando o âmbito de análise, o estudo revela que um em cada cinco retalhistas especializados e importadores de vinho coloca Portugal no topo das suas prioridades para complementar a gama de produtos do seu portefólio, o que faz com que Portugal esteja pela primeira vez no topo das preferências dos retalhistas e importadores da Europa Central, segundo informações fornecidas pela ViniPortugal, que está presente num stand com mais de 150 produtores reunidos no stand da ViniPortugal – para além dos stands das várias regiões vitivinícolas nacionais presentes no evento – Vinho Verde, Porto e Douro, Tejo, Alentejo, Beira Interior e Bairrada.

E para além disso, ainda há produtores que estão agregados a importadores 🙂

Magnum Wine Radio 233 – As novas Botas de João Silva e Sousa

João Silva e Sousa já tem um currículo extenso de projetos, sempre tendo o Douro como paixão. O último e mais recente, é o Botas Velhas, um projeto onde… “tomo as decisões todas” o que significa que… se não gostar, a culpa foi dele. Começou em 2017, tem quatro referências: o Bota Velha branco e tinto e o Bota Velha Vinhas Antigas (também branco e tinto). Vinhos para provar já e para guardar em cave. O resto, fique a saber na entrevista dada ao podcast!

Magnum Wine Radio 232 – Veuve Ambal dá-se a conhecer

“Veuve” é a designação francesa para Viúva. E sim, parece ser normal que os vinhos se chamassem “viúva qualquer coisa” pois em Portugal, em Colares, também temos uma viúva, Gomes de seu nome. Em Champagne, a mais conhecida é a Veuve Cliquot, dos conhecidos champagnes com a mesma designação. Mas na zona da Borgonha, outra viúva desponta, uma marca com a bonita idade de 120 anos (feitos o ano passado) e que conta com vários domínios, grandes vinhos e uma marca forte de “Crémant de Bourgogne”: Veuve Ambal.

Jeannette Terras é a entrevistada deste podcast. A responsável pelas vendas europeias dá a conhecer a casa, o estilo e a forma de ser de uma empresa com número gigantes para o conceito português. Negócio puro e duro, com váriso domínios adquiridos e uma fortíssima presença na Borgonha. Para ouvir (em inglês) no programa!

Magnum Wine Radio 231 – A Argilla de Montargil

A Herdade da Anta de Cima pode não ser o nome mais fácil de lembrar… Temos então a certeza que o nome Argilla foi uma excepcional escolha da família Tenreiro, cujas faces visíveis são o Paulo e a Rita Tenreiro, para dar o mote a uma conversa descontraída. E como hoje é o dia da Mulher, fomos conversar sobre a “Argilla”, a Talha, a razão de ser destes vinhos e a aposta num estilo muito próprio. E fixem bem o nome desta menina-mulher que está no radar de Dirk Niepoort, pelos seus vinhos… muito curiosos!

Magnum Wine Radio 230 – A Quinta do Rol é na Lourinhã, sabiam?

A Quinta do Rol situa-se na Lourinhã, a nossa “Lourinhac”, a terra por excelência das aguardentes nacionais – calma, também há excelentes aguardentes nos Verdes e na Bairrada mas as da Lourinhã são DOC 🙂 – mas a sua fama não é, somente, pelas aguardentes. Nuno Martins da Silva, o enólogo da casa, fala apaixonadamente (parece um vendedor, e é um elogio) da Quinta, da aposta num misto de tradição – Vital, etc- e castas estrangeiras, na gama de vinhos e no tempo que o projeto permite ao enólogo e aos vinhos, mostrarem o que valem. O tempo que muitos produtores não têm, existe aqui, e por isso quem é apaixonado por vinhos onde se mostra a vivacidade e o tempo em garrafa… melhor descobrirem onde fica a Quinta do Rol

Magnum Wine Radio 229 – The Porto Protocol

Logo a seguir ao Carnaval o Porto transforma-se na capital da indústria do vinho. O grupo Fladgate Taylor’s convidou especialistas nas mais variadas áreas do sector para analisar e porpor soluções para um problema comum a toda a fileira do vinho: as alterações climáticas, a sustentabilidade da vinha e do vinho e como podemos passar as vinhas (da mesma forma que passamos o vinho) para as futuras gerações.

Mais do que meritório, é brutalmente louvável. Ao invés de tapar o sol com a peneira ou ignorar o tema, a empresa liderada por Adrian Bridge aposta no conhecimento, nas pequenas atitudes e numa mudança de processos para dar conhecimento público que a fileira do vinho tem que mudar: ou as alterações climáticas mudam por eles…

Por isso, o Porto recebe a partir de quarta o Climate Change Leadership com soluções para a indústria do vinho. E o grupo lança o desafio a todos, empresas e particulares, para fazerem parte do The Porto Protocol. Serem “Heros”. Este blog orgulha-se de ser um dos Fundadores do The Porto Protocol. Porque o amanhã é de todos!

Magnum Wine Radio 228 – Jorge Monteiro, o presidente da ViniPortugal, faz o retrato do sector

Falar com Jorge Monteiro é, no sector do vinho, o equivalente a falar ao mesmo tempo com o Ministro do Turismo e dos Negócios Estrangeiros. Porque a ViniPortugal, entidade que congrega as associações do sector, é uma entidade que agrupa toda a fileira do vinho e se encarrega de promover a marca Portugal nos mercados. Cada vez mais produtores à procura do eldorado da exportação, uma aposta noutros mercados e uma radiografia crua do sector – nós não temos vinhos baratos, temos uma produção complicada – são algumas das razões para “perderem” 20 minutos e pouco do vosso tempo para ouvirem este podcast imperdível. Ah, e os produtores de espumante devem, mesmo, devem ouvir a entrevista até ao fim. Aqui fica Jorge Monteiro, Presidente da ViniPortugal!

Magnum Wine Radio 227 – O TOP 10 da Essência e da RV visto à lupa estrangeira

A verdade é que este podcast não é só sobre o Top 10 da Essência de Vinhos. É também sobre a mania que alguns têm de dizer: grandes vinhos provados na… (escreva uma feira ao seu gosto) e não dizem que são os gostos pessoais e as escolhas pessoais. Porque uma feira que tem 300 ou 100 produtores e está aberta cinco horas não permite muitas provas e há tendências. Cada um faça o seu roteiro e nem precisa comparar cromos…

Depois do desabafo, eis que fica o Top 10 da Essência do Vinho 2019. Quinta da Touriga-Chã 2016, Principal Grande Reserva 2011 e Dow’s Porto Vintage 2016 são os rótulos que mais se notabilizaram em 2018, para a comitiva de 50 especialistas internacionais que os provaram partindo de uma escolha de 60 vinhos pré-definidos pelo painel de provas da Revista de Vinhos – os melhores pontuados ao longo das doze edições.

Nos tintos, a qualidade apresentada proporcionou a distinção de quatro referências. Quinta da Touriga-Chã 2016, (Jorge Rosas, Douro) foi o que reuniu a preferência dos jurados. Seguiram-se Procura Vinhas Velhas 2014 (Susana Esteban, Alentejo, 2º lugar), Sabor(z)inho by António Maçanita 2015 (Azores Wine Company, Açores, Pico, 3º lugar) e Quinta dos Carvalhais Único 2015 (Sogrape Vinhos, Dão, 4º lugar).

Principal Grande Reserva 2011 (Ideal Drinks, Bairrada, 1º lugar), Guru 2016 (Wine & Soul, Douro, 2º lugar) e Cozs Vp – Vital 2017 (Coz, Vinho de Portugal) foram os brancos que se destacaram. Por fim, no campo dos fortificados, o júri elegeu Dow’s Porto Vintage 2016 (Symington Family Estates, Vinho do Porto, 1º lugar), Taylor’s Porto Vintage 2016 e Barbeito Boal 40 Anos Vinho do Embaixador (Vinhos Barbeito, Vinho Madeira).

Magnum Wine Radio 226 – A Quinta do Piloto vai ser kamikaze em 2019

Quer saber porque é que Filipe Cardoso, a geração que se segue na Quinta do Piloto, tem grandes esperanças em 2019? Se quer saber tudo vai ter que ouvir o podcast – sabem, se só lerem o resumo, perdem a minha voz e a voz do entrevistado… 🙂

Agora mais a sério, o Filipe Cardoso revela as experiências que fará em 2019 duma quinta que, situada entre gigantes e anões, tem área, passado e possibilidades de criar novos vinhos de Setúbal dentro do Setúbal que conhecemos 🙂

Magnum Wine Radio 225 – As Grandes Escolhas do Vinho

O jantar e a cerimónia de anúncio e entrega dos ‘Prémios Grandes Escolhas’ decorreu na Bairrada na passada sexta-feira, dia 15 de Fevereiro, no Centro de Alto Rendimentos de Anadia (Velódromo Nacional), e podemos dizer que teve três grandes premiados bairradinos: os “Baga Friends”, o Rei dos Leitões, ou melhor a sua equipa dirigente, e a Garrafeira 5 Estrelas – que este ano “limpa” os dois prémios relativo às garrafeiras!

Organizado pela revista Grandes Escolhas, o evento teve casa cheia e deu a conhecer os premiados com os ‘Troféus Grandes Escolhas’ e conhecer o ‘Top 30 Grandes Escolhas’, baseado nos melhores entre os melhores vinhos provados em 2018.

Começando pelos ‘Troféus Grandes Escolhas’, o prémio ‘Senhor do Vinho’ foi entregue a Paul Symington. Esta importante distinção é atribuída a quem extravasou as expectativas no mundo vitivinícola e este homem – escocês de nascimento, mas duriense de alma – fá-lo ao desenvolver o património vinhateiro de um dos maiores grupos associados ao vinho do Porto, a Symington Family Estates, eleita, também ela, como ’Empresa Vinhos Generosos’. O galardão equivalente para a empresa do ano foi para a Lusovini. Casimiro Gomes fez um discurso bastante emocionado – ok, não tão emocionado como o da Mariana Paralta, da Garrafeira 5 Estrelas, que fez, literalmente, 1000 pessoas levantarem-se das mesas e brindarem ao vinho!

O ’Prémio David Lopes Ramos’ dado à dupla Licínia Ferreira e Paulo Rodrigues, do restaurante Rei dos Leitões, na Mealhada e o produtor e enólogo António Maçanita arrecadou, por sua vez, o prémio ‘Singularidade’, os outros dois “grandes prémios” atribuidos por esta revista. Mas aqui ficam os outros: O ’Enólogo’, foi repartido, este ano, por Celso Pereira e Jorge Alves, quer pelo trabalho individual que fazem em diferentes produtores, quer no âmbito do projecto Quanta Terra partilhado pelos dois; e o galardão ‘Enólogo Vinhos Generosos’ foi para António Agrellos, pelos Porto Vintage e Tawny da Quinta do Noval sendo o prémio ‘Viticultura’ atribuído à Quinta do Crasto.

O prémio ‘Produtor Revelação’ foi para Miguel Queimado, produtor do vinho “Vale dos Ares” e o Monte da Ravasqueira ganhou o de ‘Produtor’. A ‘Cooperativa’ do ano é a Cooperativa Vitivinícola da Ilha do Pico, nos Açores.

Já referi que a categoria ‘Organização’ foi ganho pelos ‘Baga Friends’, cujo objectivo consiste em promover a casta rainha da Bairrada, bem como impulsionar a região, quer no nosso país, quer além fronteiras. As Casas do Côro, em Marialva, ganham na categoria de ‘Enoturismo’, pelo seu forte impacto na área do turismo e, consequentemente, do vinho. Mas há mais prémios: o Club del Gourmet do El Corte Inglès de Lisboa recebeu o galardão de ‘Loja Gourmet’. e a Casa da Viúva foi a vencedora do prémio ‘Wine Bar’.

Vamos, agora, directos para a mesa, desta vez com o premiado restaurante Feitoria, no Altis Belém Hotel & Spa, em Lisboa, a destacar-se na categoria de ‘Restaurante’, graças ao estilo depurado da cozinha do chef João Rodrigues que, há dez anos, se mantém de pedra e cal nesta casa. A grande escolha do ‘Restaurante Cozinha Tradicional’ é a Taberna Ó Balcão, do chef Rodrigo Castelo, em plena cidade de Santarém; e o ‘Restaurante Cozinha do Mundo’ – a novidade desta edição – fica para o espaço de restauração dedicado à cozinha chinesa, o The Old House, no Parque das Nações. Ainda dentro da esfera da restauração, mas já na categoria de ‘Sommelier’, é de enaltecer o trabalho de Ivo Peralta, o escanção do Epur, a cozinha do chef Vincent Farges, no Chiado, em Lisboa.

O ’Top 30 Grandes Escolhas’, outro dos momentos mais aguardados desta noite de gala, reúne os melhores entre os melhores em cada região e categoria. Nesta lista estão um espumante de Trás-os-Montes, três referências vínicas da Região Demarcada dos Vinhos Verdes, dois dos quais da sub-região de Monção e Melgaço. Há, ainda, seis vinhos do Douro – cinco tintos e um branco –; quatro tintos do Dão; dois tintos e um branco da Bairrada; um do Tejo; um da Península de Setúbal; quatro tintos e um branco do Alentejo. Nos generosos constam quatro vinhos do Porto, da categoria Vintage, um vinho Moscatel e um vinho Madeira.

TOP 30 Grandes Escolhas :: Lista de Vinhos

· Vértice Reg. Duriense Espumante Chardonnay branco 2010 (Caves Transmontanas)

· Expressões Vinho Verde Monção e Melgaço branco 2016 (Anselmo Mendes Vinhos)

· Soalheiro Primeiras Vinhas Vinho Verde Monção e Melgaço Alvarinho branco 2017 (Vinusoalleirus)

· Quinta de San Joanne Vinho Verde Superior branco 2015 (Casa de Cello)

· Chryseia Douro tinto 2016 (Prats & Symington)

· Mirabilis Douro Grande Reserva tinto 2015 (Quinta Nova Nossa Senhora do Carmo)

· Pintas Douro tinto 2016 (Wine & Soul)

· Quinta do Crasto Vinha Maria Teresa Douro tinto 2015 (Quinta do Crasto)

· Quinta do Vale Meão Douro tinto 2016 (F. Olazabal & Filhos)

· Vale D. Maria Vinha de Martim Douro branco 2017 (Quinta Vale D. Maria Vinhos)

· Quinta dos Roques Dão Reserva tinto 2015 (Quinta dos Roques)

· Ribeiro Santo E.T. Dão tinto 2013 (Magnum Carlos Lucas Vinhos)

· Teixuga Dão tinto 2014 (Caminhos Cruzados)

· Varanda da Serra Dão tinto 2013 (Ares do Dão)

· Kompassus Private Collection Bairrada tinto 2013 (Kompassus Vinhos)

· Luís Pato Vinha Barrosa Bairrada tinto 2015 (Luís Pato)

· Quinta das Bágeiras Pai Abel Bairrada branco 2016 (Mário Sérgio Alves Nuno)

· Falcoaria Do Tejo Grande Reserva tinto 2015 (Quinta do Casal Branco)

· António Saramago Reg. Península de Setúbal Superior tinto 2013 (António Saramago Vinhos)

· Dona Maria Alentejo Grande Reserva tinto 2013 (Júlio Bastos)

· Esporão Private Selection Alentejo Garrafeira tinto 2013 (Esporão)

· Herdade do Rocim Clay Aged Alentejo tinto 2016 (Rocim)

· Incógnito Reg. Alentejano tinto 2014 (Cortes de Cima)

· Procura Reg. Alentejano branco 2016 (Susana Esteban)

· Dow’s Porto Vintage 2016 (Symington Family Estates Vinhos)

· Graham’s The Stone Terraces Porto Vintage 2016 (Symington Family Estates Vinhos)

· Quinta do Noval Nacional Porto Vintage 2016 (Quinta do Noval Vinhos)

· Taylor’s Porto Vintage 2016 (Taylor Fladgate & Yeatman)

· Bacalhôa Moscatel de Setúbal Superior 20 anos 1997 (Bacalhôa Vinhos de Portugal)

· Cossart Gordon Madeira Bual 1989 (Madeira Wine Company)