Magnum Wine Radio 235 – Piorro e Bocho. Vinhos que merecem ser provados

Há vinhos e vinhos. Há estilos de enólogos e estilos de enólogos. Pedro Pinto é dos meus. Num mar de vinhos que estão a sair para o mercado com os seus 2017 ou mesmo 2018 (!) há produtores cuja capacidade financeira ou estratégica ou… as duas, permitem dar tempo ao… tempo e à enologia. É o caso da 1912 Winemaker, que tem em Pedro Pinto, mais do que o seu enólogo, o porta-voz dos dois irmãos que têm uma paixão pelo vinho. Provem-no no podcast!

Jantares eno-literários ajudam a comemorar os 110 anos do Vinho Verde

A partir de 13 de Abril, a Casa do Vinho Verde, na Rua da Restauração, Porto, abre portas a um ciclo de jantares temáticos que, mensalmente, propõe um “Regresso à Casa do Conde”. Um programa que convida a recuar até à segunda metade do século XIX e a frequentar o Palacete Silva Monteiro – que actualmente dá lugar à Casa do Vinho Verde – e num ambiente diferente aprender mais sobre três nomes grandes da literatura com jantares conduzidos por três chefs de renome. E o acompanhamento, claro, de vinho Verde.

Os oradores são Gonçalves Guimarães para descobrir Eça de Queiroz, conhecer Camilo Castelo Branco através de Isabel Pires de Lima e desvendar o universo do Conde Silva Monteiro com Joel Cleto.

Para além dos oradores convidados, três Chefs de referência confecionam menus inspirados em nomes maiores da literatura portuguesa e da sociedade portuense: a 13 de Abril, uma noite “à mesa com Eça de Queiroz” conta com o Chef António Pinto – da Casa de Tormes – para recriar o menu queirosiano de “A cidade e as serras” harmonizado com o “fresco, esperto, seivoso” Vinho Verde. A 25 de Maio, o Chef Renato Cunha revisita “A brasileira de Prazins” e apresenta produtos tradicionais da região minhota num menu Camiliano para estar “à mesa com Camilo Castelo Branco” e, a 29 de Junho, o Chef Hélio Loureiro prepara um jantar de inspiração oitocentista no Palacete da Rua da Restauração onde, à época, os salões se enchiam de arte e de cultura para receber a sociedade portuense.

O “Regresso á Casa do Conde” é uma iniciativa cultural integrada nas comemorações dos 110 anos da Região Demarcada dos Vinhos Verdes e tem como objectivo celebrar o Vinho Verde na literatura portuguesa, para além de promover a Obra do Conde Silva Monteiro, importante figura da cidade do Porto a nível cultural, económico, social e filantrópico.

“Regresso à Casa do Conde” | Ciclo de Jantares temáticos na Casa do Vinho Verde

13 de Abril – “À mesa com Eça de Queiroz” | Horário: 20 horas

Orador convidado: Gonçalves Guimarães | Chef António Pinto | Preço por pessoa: 50,00 euros

25 de Maio – “À mesa com Camilo Castelo Branco” | Horário: 20 horas

Orador convidado: Isabel Pires de Lima | Chef Renato Cunha | Preço por pessoa: 50,00 euros

29 de Junho | “Regresso à Casa do Conde” | Horário: 20 horas

Orador: Joel Cleto | Chef Hélio Loureiro | Preço por pessoa: 50,00 euros

As reservas são obrigatórias pelo email: marketing@vinhoverde.pt

 

Magnum Wine Radio 234 – Duas ou três reflexões sobre a ProWein e exportações

Um podcast simples: reflexões sobre as exportações portuguesas conjugadas com a maior feira sobre o vinho: todos os caminhos vão dar à ProWein, tornando as noites de Dusseldorf um misto de conversas mundiais sobre vinho. E Portugal está nisto em força… Ou não fosse o 5.º país com maior representação na ProWein, num total de 383 expositores. De acordo com um estudo desenvolvido em 2018 pela Universidade de Geisenheim para a ProWein, cerca de um quarto dos especialistas alemães inquiridos planeiam incluir vinhos portugueses no seu portefólio no futuro. Alargando o âmbito de análise, o estudo revela que um em cada cinco retalhistas especializados e importadores de vinho coloca Portugal no topo das suas prioridades para complementar a gama de produtos do seu portefólio, o que faz com que Portugal esteja pela primeira vez no topo das preferências dos retalhistas e importadores da Europa Central, segundo informações fornecidas pela ViniPortugal, que está presente num stand com mais de 150 produtores reunidos no stand da ViniPortugal – para além dos stands das várias regiões vitivinícolas nacionais presentes no evento – Vinho Verde, Porto e Douro, Tejo, Alentejo, Beira Interior e Bairrada.

E para além disso, ainda há produtores que estão agregados a importadores 🙂

Magnum Wine Radio 233 – As novas Botas de João Silva e Sousa

João Silva e Sousa já tem um currículo extenso de projetos, sempre tendo o Douro como paixão. O último e mais recente, é o Botas Velhas, um projeto onde… “tomo as decisões todas” o que significa que… se não gostar, a culpa foi dele. Começou em 2017, tem quatro referências: o Bota Velha branco e tinto e o Bota Velha Vinhas Antigas (também branco e tinto). Vinhos para provar já e para guardar em cave. O resto, fique a saber na entrevista dada ao podcast!

Magnum Wine Radio 232 – Veuve Ambal dá-se a conhecer

“Veuve” é a designação francesa para Viúva. E sim, parece ser normal que os vinhos se chamassem “viúva qualquer coisa” pois em Portugal, em Colares, também temos uma viúva, Gomes de seu nome. Em Champagne, a mais conhecida é a Veuve Cliquot, dos conhecidos champagnes com a mesma designação. Mas na zona da Borgonha, outra viúva desponta, uma marca com a bonita idade de 120 anos (feitos o ano passado) e que conta com vários domínios, grandes vinhos e uma marca forte de “Crémant de Bourgogne”: Veuve Ambal.

Jeannette Terras é a entrevistada deste podcast. A responsável pelas vendas europeias dá a conhecer a casa, o estilo e a forma de ser de uma empresa com número gigantes para o conceito português. Negócio puro e duro, com váriso domínios adquiridos e uma fortíssima presença na Borgonha. Para ouvir (em inglês) no programa!

Magnum Wine Radio 231 – A Argilla de Montargil

A Herdade da Anta de Cima pode não ser o nome mais fácil de lembrar… Temos então a certeza que o nome Argilla foi uma excepcional escolha da família Tenreiro, cujas faces visíveis são o Paulo e a Rita Tenreiro, para dar o mote a uma conversa descontraída. E como hoje é o dia da Mulher, fomos conversar sobre a “Argilla”, a Talha, a razão de ser destes vinhos e a aposta num estilo muito próprio. E fixem bem o nome desta menina-mulher que está no radar de Dirk Niepoort, pelos seus vinhos… muito curiosos!

Magnum Wine Radio 230 – A Quinta do Rol é na Lourinhã, sabiam?

A Quinta do Rol situa-se na Lourinhã, a nossa “Lourinhac”, a terra por excelência das aguardentes nacionais – calma, também há excelentes aguardentes nos Verdes e na Bairrada mas as da Lourinhã são DOC 🙂 – mas a sua fama não é, somente, pelas aguardentes. Nuno Martins da Silva, o enólogo da casa, fala apaixonadamente (parece um vendedor, e é um elogio) da Quinta, da aposta num misto de tradição – Vital, etc- e castas estrangeiras, na gama de vinhos e no tempo que o projeto permite ao enólogo e aos vinhos, mostrarem o que valem. O tempo que muitos produtores não têm, existe aqui, e por isso quem é apaixonado por vinhos onde se mostra a vivacidade e o tempo em garrafa… melhor descobrirem onde fica a Quinta do Rol

Magnum Wine Radio 229 – The Porto Protocol

Logo a seguir ao Carnaval o Porto transforma-se na capital da indústria do vinho. O grupo Fladgate Taylor’s convidou especialistas nas mais variadas áreas do sector para analisar e porpor soluções para um problema comum a toda a fileira do vinho: as alterações climáticas, a sustentabilidade da vinha e do vinho e como podemos passar as vinhas (da mesma forma que passamos o vinho) para as futuras gerações.

Mais do que meritório, é brutalmente louvável. Ao invés de tapar o sol com a peneira ou ignorar o tema, a empresa liderada por Adrian Bridge aposta no conhecimento, nas pequenas atitudes e numa mudança de processos para dar conhecimento público que a fileira do vinho tem que mudar: ou as alterações climáticas mudam por eles…

Por isso, o Porto recebe a partir de quarta o Climate Change Leadership com soluções para a indústria do vinho. E o grupo lança o desafio a todos, empresas e particulares, para fazerem parte do The Porto Protocol. Serem “Heros”. Este blog orgulha-se de ser um dos Fundadores do The Porto Protocol. Porque o amanhã é de todos!

Magnum Wine Radio 228 – Jorge Monteiro, o presidente da ViniPortugal, faz o retrato do sector

Falar com Jorge Monteiro é, no sector do vinho, o equivalente a falar ao mesmo tempo com o Ministro do Turismo e dos Negócios Estrangeiros. Porque a ViniPortugal, entidade que congrega as associações do sector, é uma entidade que agrupa toda a fileira do vinho e se encarrega de promover a marca Portugal nos mercados. Cada vez mais produtores à procura do eldorado da exportação, uma aposta noutros mercados e uma radiografia crua do sector – nós não temos vinhos baratos, temos uma produção complicada – são algumas das razões para “perderem” 20 minutos e pouco do vosso tempo para ouvirem este podcast imperdível. Ah, e os produtores de espumante devem, mesmo, devem ouvir a entrevista até ao fim. Aqui fica Jorge Monteiro, Presidente da ViniPortugal!

Magnum Wine Radio 227 – O TOP 10 da Essência e da RV visto à lupa estrangeira

A verdade é que este podcast não é só sobre o Top 10 da Essência de Vinhos. É também sobre a mania que alguns têm de dizer: grandes vinhos provados na… (escreva uma feira ao seu gosto) e não dizem que são os gostos pessoais e as escolhas pessoais. Porque uma feira que tem 300 ou 100 produtores e está aberta cinco horas não permite muitas provas e há tendências. Cada um faça o seu roteiro e nem precisa comparar cromos…

Depois do desabafo, eis que fica o Top 10 da Essência do Vinho 2019. Quinta da Touriga-Chã 2016, Principal Grande Reserva 2011 e Dow’s Porto Vintage 2016 são os rótulos que mais se notabilizaram em 2018, para a comitiva de 50 especialistas internacionais que os provaram partindo de uma escolha de 60 vinhos pré-definidos pelo painel de provas da Revista de Vinhos – os melhores pontuados ao longo das doze edições.

Nos tintos, a qualidade apresentada proporcionou a distinção de quatro referências. Quinta da Touriga-Chã 2016, (Jorge Rosas, Douro) foi o que reuniu a preferência dos jurados. Seguiram-se Procura Vinhas Velhas 2014 (Susana Esteban, Alentejo, 2º lugar), Sabor(z)inho by António Maçanita 2015 (Azores Wine Company, Açores, Pico, 3º lugar) e Quinta dos Carvalhais Único 2015 (Sogrape Vinhos, Dão, 4º lugar).

Principal Grande Reserva 2011 (Ideal Drinks, Bairrada, 1º lugar), Guru 2016 (Wine & Soul, Douro, 2º lugar) e Cozs Vp – Vital 2017 (Coz, Vinho de Portugal) foram os brancos que se destacaram. Por fim, no campo dos fortificados, o júri elegeu Dow’s Porto Vintage 2016 (Symington Family Estates, Vinho do Porto, 1º lugar), Taylor’s Porto Vintage 2016 e Barbeito Boal 40 Anos Vinho do Embaixador (Vinhos Barbeito, Vinho Madeira).