Magnum Wine Radio 193 – Os espumantes da Casa Senhorial do Reguengo

Rui Oliveira é uma pessoa, como poderão ouvir no podcast, com facilidade de conversar daquilo que o apaixona. E que é os espumantes das terras de Basto. Por isso, terão aqui uma boa conversa, com algumas simpáticas picardias pelo meio mas que demonstram o à vontade com que o Rui trata os espumantes, a sua paixão e os vinhos verdes em geral! Uma entrevista com sabor a Casa Senhorial do Reguengo

Magnum Wine Radio 192 – O futuro de Carlos Raposo

Carlos Raposo pode ser um nome desconhecido para a maioria dos consumidores de vinho. Aliás, é possível que seja um nome pouco conhecido para uns quantos enófilos mais novatos ou mais distraídos. Mas quem gosta dos vinhos Douro e Verdes da Niepoort (só para falar nestes) ou para quem conhece a Quinta de Nápoles, sabe de quem estamos a falar.

E por isso, é natural que seja feita esta entrevista. Não foi muito fácil, porque Carlos Raposo é mais de fazer que mostrar. Maneja a viticultura e a enologia como gente grande, do alto dos seus 30 e poucos anos. O seu estilo? Veremos em breve mas para alguém que se identifica com os Douros DOC by Niepoort, decerto teremos novidades e paixão garantidas no que fizer!

Carlos Raposo anuncia que terá um projeto no Dão mas não só. Acompanhem o futuro. Porque será um fuuro brilhante, não teremos dúvidas!

Magnum Wine Radio 191 – Todos a Nelas para a Feira do Vinho do Dão

E depois das férias… chegamos à rentrée vínica, onde os enófilos – e pessoas que queiram conhecer bons vinhos metem-se no carro e vão até à praça do Município, em Nelas… onde conseguem provar bons vinhos e fazer excelentes compras. O programa completo está aqui, no site oficial, mas também no podcast da ordem!!

Magnum Wine Radio 190 – IV Gala Gastronómica da Bairrada mostrou a versatilidade dos vinhos

O maior podcast feito até à data justifica-se com os convidados desta gala, que estiveram em grande forma nos vinhos, nos espumantes e também na conversa!

Decorreu a meados deste mês, sempre no Hotel Paraíso, em Oliveira do Bairro, a IV Gala Gastronómica da Bairrada. Mais uma vez casa cheia para receber 6 chefs, 6 pratos e 6 vinhos da Região. A única diferença em relação a outras galas foi que, desta vez, os produtores “repetiram” presenças!

O Chef Luís Patrão abriu as hostilidades, depois dos canapés com vários espumantes – de grande nível – com um Pitáu de Raia em grande forma, acompanhado com o 3B extra-bruto da Filipa Pato (a produtora não esteve presente mas fez-se representar pelo pai, Luís Pato). O Chef Armando Matos – que dias depois anunciou que ficou com a chefia do Anna’s, em Aveiro – seguiu-se, com um Lúcio da Pateira com aromas de caldeirada. Um prato que caiu muito bem no gosto dos presentes, e que teve a acompanhá-lo o Vinho Branco Quinta do Valdoeiro 2016 das Caves Messias.

De seguida, um prato rebelde com um vinho igualmente rebelde. O Pato Rebel 2017 do Luís Pato acompanhou com mestria a “Cavala e o seu Habitat” do chef Jorge Pardal. E dos peixes, seguiu-se a carne e, adivinharam, dois tintos bairradinos. O Chef Hugo Pereira apresentou-nos uma Favada à Gondoreza nos dias de hoje, em que o rojão estava bem apresentado e com um belo sabor. O vinho Baga Tradição 2016, um 100 por cento Baga das Caves Messias, mostrou frescura, vivacidade e acompanhou de forma impecável este prato.

O “Cabrito e as texturas da terra” do Chef Gonçalo Melo cumpriu de forma exemplar o imaginário das gentes bairradinas com o bicho a ser acompanhado por um Casa do Canto Bairrada Reserva 2015 a mostrar que a cave vai ser excelente para estes vinhos e onde se nota bem o dedo do Osvaldo Amado no mesmo.

Para a sobremesa, o Chef Ricardo Santos jogou com o olhar – pois a beleza estimula os sentidos – e apresentou o prato “Oliveira Doce”, que foi acompanhado com o “Abafado Molecular is a Branco 2011” do Luís Pato. Um vinho completamente fora da caixa, cujos aromas e boca foram o casamento ideal para o prato e uma das boas surpresas para quem nunca tinha provado este vinho.

A organização anunciou, desde já, a data e o elenco da V e última gala Gastronómica. Dia 10 de Novembro, no Hotel Paraíso, vão estar juntos o Chef Armindo Alves, Delfim Soares, Nuno Cabral, Flávio Silva, Gerson Oliveira, Eduardo Maya e Waldeci Marreiros. Os vinhos, saberemos mais perto do momento!

Magnum Wine Radio 189 – Tudo sobre a IV Gala Gastronómica da Bairrada

A IV Gala Gastronómica da Bairrada é já este fim de semana, no sábado dia 11, em Oliveira do Bairro. Seis chefes, seis pratos e quatro produtores bairradinos juntam-se no Hotel Paraíso para animar mais uma noite de encanto da gastronomia e dos vinhos da Bairrada.

Se num dos próximos podcasts ficarão a saber o que pensam os produtores presentes, desta feita fica a antecipação. Luis Pato e Caves Messias repetem “chefs” enquanto que a Filipa Pato e a Casa do Canto dedicam-se a um dos chefs presentes. Será uma noite animada!

Magnum Wine Radio 188 – Agosto em versão reduzida!

Em Agosto, o calor aperta, a vontade de estar na esplanada, na praia, ao sol, aumenta… e o podcast diminui 🙂 Teremos assim em versão semanal, às quartas, retomando a nossa actividade normal na altura da Feira do Vinho do Dão.

Entretanto, hoje falamos de uma mega-prova de vinhos que vai decorrer na próxima sexta-feira na Garrafeira 5 Estrelas. Entre as 17 e as 20, os vinhos (espumantes) da Casa Senhorial do Reguengo (Verdes), Montalegre (Trás-os-Montes) de Francisco Gonçalves e os vinhos Dorina (da enóloga e co-proprietária da Quinta do Plansel, Dorina Lindemann) estarão à prova.

Fiquem bem! E aproveitem!

Magnum Wine Radio 187 – O Atlântico do Márcio Lopes

Márcio Lopes anda pelos vinhos verdes a reaproveitar vinhas antigas e conceitos diferentes. Por isso não é difícil achar que os vinhos deles são diferentes. Pequenos Rebentos Atlânticos, Pequenos Rebentos Selvagens e a aposta num vinhas velhas Loureiro são as mais recentes apostas (um deles ainda não saiu…) de Márcio Lopes.

Falou-se, neste podcast também dos vinhos do Douro e de outros projetos. Um passeio “atlântico” por Márcio Lopes.

Magnum Wine Radio 186 – Sobre os vinhos do Festival do Bacalhau e Expofacic

A 11ª edição do Festival do Bacalhau realiza-se de 8 a 12 de Agosto, na Gafanha da Nazaré (Ílhavo) enquanto a Expofacic começa já amanhã. Se os programas podem ser vistos nos sites respectivos (consultar links dos nomes) já a componente vínica do mesmo foi a razão do podcast de hoje.

Da Expofacic pouco mais há a dizer: é em Cantanhede, e um dos maiores patrocinadores do evento é a Adega de Cantenhede. Razão mais do que suficiente para ser “omnipresente” no evento, com os seus espumantes e vinhos.

Já a Câmara Municipal de Ílhavo (que organiza, com a Confraria Gastronómica do Bacalhau o festival) começou no Festival passado uma parceria com a Rota da Bairrada para a criação dos vinhos com a marca “Faina Maior” que depois vende no Museu Marítimo de Ílhavo e Aquário dos Bacalhaus. Nessa altura lançou o espumante Faina Maior, produzido pelas Caves São João, com o pvp de 10€.

Para esta edição, que conta igualmente, tal como o ano passado, com um stand da Rota da Bairrada durante o evento, anunciou um Tinto Reserva e um Branco Reserva. As fichas técnicas estão nas imagens mas fica desde já a indicação que, ambos DOC Bairrada e ambos a 12,5€ são produzidos pela Casa do Canto (o Branco 2016) e pela Adega Rama (o Tinto Reserva 2014).

O Faina Maior Reserva 2014 é um vinho tinto feito com o blend de Touriga Nacional (50%), Baga (35%), Syrah (8%) e Merlot (7%), com um estágio seis meses em barrica e um ano em garrafa; o vinho branco Faina Maior Reserva 2016 combina as castas Arinto, em maior percentagem, com Sauvignon Blanc e Bical, tendo fermentado 25% do lote em barricas de carvalho francês.
São uma edição limitada a 600 garrafas de cada colheita, com um preço de 12,50€ e que está à venda nos espaços da Associação Rota da Bairrada – na Curia, em Oliveira do Bairro, na Vagueira e na Tocha (estes dois últimos espaços pop-up; até setembro) – na loja do Museu Marítimo de Ílhavo e nas lojas de Turismo de Ílhavo.

Bom apetite e bom festival a todos!

Magnum Wine Radio 185 – Os espumantes da Quinta do Ferro

Nem só da Bairrada e Távora-Varosa vivem os espumantes. Já há muitos produtores da zona dos vinhos verdes que aumentam o seu portfólio com um ou dois espumantes. Mas casas que apostam maioritariamente em espumantes, nos Verdes, conheço poucas e de memória só duas: Casa Senhorial do Reguengo e a Quinta do Ferro.

Aproveitando a presença no Vinho Verde Wine Fest, aqui fica o podcast com a Dama de Ferro Micaela Fonseca. Uma entrevista apaixonante que descreve as virtudes de Baião e da casta Avesso para o vinho-base espumante e o portfólio da Quinta do Ferro.

Magnum Wine Radio 184 – Mostrar as virtudes da Adega de Cambra pelo Nuno Vieira da Silva

Vale de Cambra pode ser terra de milionários, terra do interior norte do extinto distrito de Aveiro mas é também terra de vinho, de viticultores. Um terroir em que sendo uma zona de altitude, conjugada com as castas caracteristicas dos Vinhos Verdes, região onde (ainda) se insere, permite um tipo de vinho base… que o enólogo Nuno Vieira da Silva mostra como de grande potencial para espumantes.

Fiquem a conhecer melhor Nuno Vieira da Silva e a Adega Cooperativa de Vale de Cambra!