Gastronomia de Bordo: Marisqueira da Barra – a simplicidade

Quem vai a uma Marisqueira, vai para uma mariscada, ou um bife, certo? É normal, ninguém leva a mal. Se calhar por isso a Marisqueira da Barra também entrou no Festival Gastronomia de Bordo. Para mostrar que havia mais do que bom marisco!

As mesas estavam cheias de jovens – nesta altura foi um prazer ver um restaurante com boa frequência – e as mariscadas (viemos a saber, a 47€) eram, claramente, o prato forte da casa. Mas havia uma missão a cumprir e por isso fomos ao menu da Gastronomia de Bordo.

Na filosofia da Gastronomia de Bordo, serviram-nos triplas entradas do omnipresente bacalhau, já preparadas de antemão, com ovas, bolinhos e croquetes. As ovas mostraram-se competentes, sem pimenta, com azeite, vinagre, salsa e alho. Mas quero reforçar que neste leque de entradas, a primazia foi para os croquetes. Ótimos à vista e ao paladar!

Nos entretantos, demos um olhar à carta de vinhos. É uma das cartas tradicionais da região (leia-se, aposta no Douro e tem tintos a mais para aquilo que são os pratos ex-libris da casa) com cerca de dez vinhos brancos da região dos Vinhos Verdes e alguns Bairradas, em especial nos espumantes. Foi para aí que fomos, para um Abibes Arinto & Baga, deliciosa companhia do prato principal que nos esperava.

A Feijoada de Samos, acompanhada de arroz, veio num tacho de proporções generosas e caldosa q.b. O picante não era forte mas proporcionaram opção que remediou a situação. É uma questão de gosto mas, para mim, a feijoada de samos deve estar bem condimentada. O produto estava feito com qualidade e em quantidade. É de referir, para os entendidos, que seria tecnicamente uma feijoada de boinas mais do que de samos, mas estava boa!

O serviço foi sempre atento, simpático e competente, a olharem para o cliente e com antecipações corretas do que era pretendido. OS meus parabéns!

A equipa não me quis deixar sair sem provar um doce, em especial um que levasse as framboesas que são a menina dos olhos (e o trabalho) do Gilberto Tortas. Tarte de amêndoa e os referidos frutos vermelhos combinaram deliciosamente e terminaram em alta a nossa presença na Marisqueira. E na próxima visita, o Marisco será rei embora o prato mais conhecido da casa seja o “arroz à marinheiro”!

Gilberto Tortas tem esta casa há quase 12 anos. O bichinho da restauração é de origem familiar e, esse tem mais do dobro porque as casas conhecidas da Barra fazem parte do ADN. Surfista e de origem americana-vaguense (nasceu nos EUA onde a família estava emigrada), quando voltou, apaixonou-se pela Barra. E desde os 5 anos, a praia é a sua paixão, tanto que o primeiro trabalho foi para, claro, comprar uma prancha de surf. Actualmente as framboesas são a sua menina dos olhos, que cultiva em Santa Catarina (Vagos)

entradas

OVAS DE BACALHAU

BOLINHOS DE BACALHAU

CROQUETE DE BACALHAU

prato principal

FEIJOADA DE SAMOS

36,00€/2 Pessoas

Marisqueira da Barra

Avenida João Corte Real 137, Praia da Barra

12h00 ~ 15h00 e 19h00 ~ 23h00

informações e reservas 234 040 664 ou 915 471 068

Gastronomia de Bordo – Clube de Vela – Não é só a vista… a qualidade!

Entrar nas renovadas instalações do Restaurante Clube de Vela vale a pena só pela vista. Mas nestes tempos ingratos do confinamento compensa, ainda mais, a vista que temos para a Ria de Aveiro, o ancoradouro, os miúdos nos optimists, tudo… mesmo quando está nevoeiro na Costa Nova do Prado, algo não assim tão raro!

À entrada somos recebidos, como é da praxe, por uma flute de espumante. Encaminhados para o local do repasto, higienicamente limpo à minha vista, solicitei a carta de vinhos pois o restante já estava previamente escolhido.

Copos de qualidade e uma carta de vinhos que se inicia pela região da Bairrada fazem-me brilhar os olhos. A predominância dos brancos também é de louvar, estando a carta também com Dão, Douro, Alentejo, região dos Vinhos Verdes, Espumantes e Champagnes. Boas opções, entre o equilibrado e… as ocasiões especiais. Optei por perguntar o que me sugeriam e dos três vinhos propostos (que estariam equilibrados para as propostas gastronómicas), optei pelo Lote Especial Caves São João Branco, cujas Maria Gomes / Bical / Chardonnay estiveram a preceito por toda a maratona gastronómica.

As honras iniciais foram para a dupla entrada, acabadinha de fazer: os pasteis de bacalhau, com o formato clássico e saboroso recheio ainda estavam muito quentes, mas deliciosos. As línguas fritas, com excelente ponto de sal e quantidade generosa, primam por uma polme macia. Pessoalmente, prefiro a polme mais crocante, mas no global estavam muito boas.

Preparado para os dois pratos principais (posso dizer que os dois comensais irão ficar satisfeitos com o menu), recebi a massada de línguas, feita com cotovelinhos e com uma prevalência enorme aos sabores do mar. Um excelente molho, com picante q.b. em que o tomate, a salsa e brilham e onde os sabores estão todos muito bem apurados. Globalmente apetitosa. Era um pecado ficar sem fome para o “Bacalhau e o Mar” por isso não acabei com a dose completa.

Este prato é uma dose hipergenerosa de um bacalhau “estilo narcisa” mas com o mar à mistura. Feito normalmente com uma posta de bacalhau costa a costa, batatas grosseiramente cortadas e fritas, cebolada no ponto, azeitonas cortadas para apurar sabores, mexilhões e ameijoas. Tudo no ponto e com qualidade. É preciso estar preparado para comer tudo…

É que é preciso mesmo, porque a casa decidiu que quem participasse no Festival tinha direito, na mesma, ao flute, ao couvert e à sobremesa, tudo incluído no preço. Então, veio um cheesecake de frutos vermelhos para a mesa. Final feliz de uma excelente refeição!

Para uma futura visita, recomendo-vos, se preferem os sabores de antigamente, o “Bacalhau e o Alho”. Bacalhau cozido à moda antiga, com cebola, alho, e azeite de qualidade. A salsa e a pimenta preta para apurar sabores. Um prato que relembra as mesas das avós.

Manuel Almeida Santos já é um nome conhecido na restauração aveirense. Criador de inúmeros espaços de qualidade sente-se na Costa Nova feliz com este projeto e aguarda marés com mais alegria. Abrir em tempos de pandemia não é fácil. Abrir e renovar um espaço que era icónico na Costa Nova e que merece voltar a ser.

Um local a visitar, seja no Festival Gastronomia de Bordo ou não!

entradas

LÍNGUAS DE BACALHAU FRITAS

PASTEL DE BACALHAU

pratos principais

MASSADA DE LÍNGUAS

BACALHAU E O MAR

60,00€/2 pessoas (inclui flute de espumante à entrada, couvert e sobremesa)

Clube de Vela da Costa Nova

Avenida José Estêvão s/n, Costa Nova

sexta e sábado 12h00 ~ 15h30 e 19h00 ~ 22h30 e domingo 12h00 ~ 15h30

informações e reservas 234 360 250

Aqui na Bairrada este fim de semana!

Sábado e domingo todos os caminhos vão dar à Bairrada!

O ‘Aqui na Bairrada – Beber e Saborear’ é a maior mostra de espumantes, vinhos e sabores da região. Vai ter lugar no Sábado e Domingo, das 15h00 às 21h00, no Pavilhão de Desportos de Anadia, em Montouro. A entrada do evento é livre, mas quem quiser provar os cerca de 300 néctares dos 32 produtores presentes terá que adquirir o copo oficial da Bairrada – já a “envergar” a nova identidade da região –, que tem um custo de três euros. No que toca aos sabores, são doze os expositores.

A Comissão Vitivinícola da Bairrada (CVB) desafiou os produtores da região demarcada a pôr à prova os seus néctares, desde grandes referências aos seus mais recentes rótulos. Entre espumantes, vinhos brancos, rosés e tintos – todos com certificação de Denominação de Origem DO Bairrada ou IG Beira Atlântico –, será dado relevo à diversidade e à qualidade dos néctares, bem como à tipicidade do terroir bairradino.

O ANB mantém o formato de outros anos, com a feira de vinhos e sabores, complementada por provas de vinhos comentadas: no Sábado, com brancos e tintos sob o mote ‘Bairrada: 40 anos de demarcação’ e, no Domingo, espumantes em ‘Bairrada: mais de um século de tradição’. Ambas são orientadas pelo crítico de vinhos Luís Ramos Lopes, grande conhecedor da região e dos seus vinhos. Têm lugar às 18h00, no Museu do Vinho Bairrada. Custam €25,00 cada e são de inscrição obrigatória, feita através dos contactos aquinabairrada@rotadabairrada.pt ; 231 503 105; 924 405 154.

A organização está cargo da Comissão Vitivinícola da Bairrada, da Rota da Bairrada e do Município de Anadia, com o apoio da entidade Turismo do Centro de Portugal e do Instituto da Vinha e do Vinho.

Aqui na Bairrada – Beber e Saborear 2019

Local: Pavilhão de Desportos de Anadia

Morada: Montouro, 3780-243 Anadia

Datas: Sábado e Domingo, dias 14 e 15 de Setembro de 2019

Horários: 15h00 às 21h00

Magnum Wine Radio 248 – Aplauso para vários vinhos!

O entrevistado deste programa também presidente da Comissão Vitivinicola da Bairrada mas para este efeito é apenas enólogo. Com amigos de infância, que para além da música também gostam de vinhos, decidiram avançar para um projeto que ainda associasse um ao outro. Foi dai que surgiu a empresa Ampulheta Mágica e osMeninos da Sacristia começaram nos espumantes e vinhos. saiba mais a ouvir o podcast!

Magnum Wine Radio 225 – As Grandes Escolhas do Vinho

O jantar e a cerimónia de anúncio e entrega dos ‘Prémios Grandes Escolhas’ decorreu na Bairrada na passada sexta-feira, dia 15 de Fevereiro, no Centro de Alto Rendimentos de Anadia (Velódromo Nacional), e podemos dizer que teve três grandes premiados bairradinos: os “Baga Friends”, o Rei dos Leitões, ou melhor a sua equipa dirigente, e a Garrafeira 5 Estrelas – que este ano “limpa” os dois prémios relativo às garrafeiras!

Organizado pela revista Grandes Escolhas, o evento teve casa cheia e deu a conhecer os premiados com os ‘Troféus Grandes Escolhas’ e conhecer o ‘Top 30 Grandes Escolhas’, baseado nos melhores entre os melhores vinhos provados em 2018.

Começando pelos ‘Troféus Grandes Escolhas’, o prémio ‘Senhor do Vinho’ foi entregue a Paul Symington. Esta importante distinção é atribuída a quem extravasou as expectativas no mundo vitivinícola e este homem – escocês de nascimento, mas duriense de alma – fá-lo ao desenvolver o património vinhateiro de um dos maiores grupos associados ao vinho do Porto, a Symington Family Estates, eleita, também ela, como ’Empresa Vinhos Generosos’. O galardão equivalente para a empresa do ano foi para a Lusovini. Casimiro Gomes fez um discurso bastante emocionado – ok, não tão emocionado como o da Mariana Paralta, da Garrafeira 5 Estrelas, que fez, literalmente, 1000 pessoas levantarem-se das mesas e brindarem ao vinho!

O ’Prémio David Lopes Ramos’ dado à dupla Licínia Ferreira e Paulo Rodrigues, do restaurante Rei dos Leitões, na Mealhada e o produtor e enólogo António Maçanita arrecadou, por sua vez, o prémio ‘Singularidade’, os outros dois “grandes prémios” atribuidos por esta revista. Mas aqui ficam os outros: O ’Enólogo’, foi repartido, este ano, por Celso Pereira e Jorge Alves, quer pelo trabalho individual que fazem em diferentes produtores, quer no âmbito do projecto Quanta Terra partilhado pelos dois; e o galardão ‘Enólogo Vinhos Generosos’ foi para António Agrellos, pelos Porto Vintage e Tawny da Quinta do Noval sendo o prémio ‘Viticultura’ atribuído à Quinta do Crasto.

O prémio ‘Produtor Revelação’ foi para Miguel Queimado, produtor do vinho “Vale dos Ares” e o Monte da Ravasqueira ganhou o de ‘Produtor’. A ‘Cooperativa’ do ano é a Cooperativa Vitivinícola da Ilha do Pico, nos Açores.

Já referi que a categoria ‘Organização’ foi ganho pelos ‘Baga Friends’, cujo objectivo consiste em promover a casta rainha da Bairrada, bem como impulsionar a região, quer no nosso país, quer além fronteiras. As Casas do Côro, em Marialva, ganham na categoria de ‘Enoturismo’, pelo seu forte impacto na área do turismo e, consequentemente, do vinho. Mas há mais prémios: o Club del Gourmet do El Corte Inglès de Lisboa recebeu o galardão de ‘Loja Gourmet’. e a Casa da Viúva foi a vencedora do prémio ‘Wine Bar’.

Vamos, agora, directos para a mesa, desta vez com o premiado restaurante Feitoria, no Altis Belém Hotel & Spa, em Lisboa, a destacar-se na categoria de ‘Restaurante’, graças ao estilo depurado da cozinha do chef João Rodrigues que, há dez anos, se mantém de pedra e cal nesta casa. A grande escolha do ‘Restaurante Cozinha Tradicional’ é a Taberna Ó Balcão, do chef Rodrigo Castelo, em plena cidade de Santarém; e o ‘Restaurante Cozinha do Mundo’ – a novidade desta edição – fica para o espaço de restauração dedicado à cozinha chinesa, o The Old House, no Parque das Nações. Ainda dentro da esfera da restauração, mas já na categoria de ‘Sommelier’, é de enaltecer o trabalho de Ivo Peralta, o escanção do Epur, a cozinha do chef Vincent Farges, no Chiado, em Lisboa.

O ’Top 30 Grandes Escolhas’, outro dos momentos mais aguardados desta noite de gala, reúne os melhores entre os melhores em cada região e categoria. Nesta lista estão um espumante de Trás-os-Montes, três referências vínicas da Região Demarcada dos Vinhos Verdes, dois dos quais da sub-região de Monção e Melgaço. Há, ainda, seis vinhos do Douro – cinco tintos e um branco –; quatro tintos do Dão; dois tintos e um branco da Bairrada; um do Tejo; um da Península de Setúbal; quatro tintos e um branco do Alentejo. Nos generosos constam quatro vinhos do Porto, da categoria Vintage, um vinho Moscatel e um vinho Madeira.

TOP 30 Grandes Escolhas :: Lista de Vinhos

· Vértice Reg. Duriense Espumante Chardonnay branco 2010 (Caves Transmontanas)

· Expressões Vinho Verde Monção e Melgaço branco 2016 (Anselmo Mendes Vinhos)

· Soalheiro Primeiras Vinhas Vinho Verde Monção e Melgaço Alvarinho branco 2017 (Vinusoalleirus)

· Quinta de San Joanne Vinho Verde Superior branco 2015 (Casa de Cello)

· Chryseia Douro tinto 2016 (Prats & Symington)

· Mirabilis Douro Grande Reserva tinto 2015 (Quinta Nova Nossa Senhora do Carmo)

· Pintas Douro tinto 2016 (Wine & Soul)

· Quinta do Crasto Vinha Maria Teresa Douro tinto 2015 (Quinta do Crasto)

· Quinta do Vale Meão Douro tinto 2016 (F. Olazabal & Filhos)

· Vale D. Maria Vinha de Martim Douro branco 2017 (Quinta Vale D. Maria Vinhos)

· Quinta dos Roques Dão Reserva tinto 2015 (Quinta dos Roques)

· Ribeiro Santo E.T. Dão tinto 2013 (Magnum Carlos Lucas Vinhos)

· Teixuga Dão tinto 2014 (Caminhos Cruzados)

· Varanda da Serra Dão tinto 2013 (Ares do Dão)

· Kompassus Private Collection Bairrada tinto 2013 (Kompassus Vinhos)

· Luís Pato Vinha Barrosa Bairrada tinto 2015 (Luís Pato)

· Quinta das Bágeiras Pai Abel Bairrada branco 2016 (Mário Sérgio Alves Nuno)

· Falcoaria Do Tejo Grande Reserva tinto 2015 (Quinta do Casal Branco)

· António Saramago Reg. Península de Setúbal Superior tinto 2013 (António Saramago Vinhos)

· Dona Maria Alentejo Grande Reserva tinto 2013 (Júlio Bastos)

· Esporão Private Selection Alentejo Garrafeira tinto 2013 (Esporão)

· Herdade do Rocim Clay Aged Alentejo tinto 2016 (Rocim)

· Incógnito Reg. Alentejano tinto 2014 (Cortes de Cima)

· Procura Reg. Alentejano branco 2016 (Susana Esteban)

· Dow’s Porto Vintage 2016 (Symington Family Estates Vinhos)

· Graham’s The Stone Terraces Porto Vintage 2016 (Symington Family Estates Vinhos)

· Quinta do Noval Nacional Porto Vintage 2016 (Quinta do Noval Vinhos)

· Taylor’s Porto Vintage 2016 (Taylor Fladgate & Yeatman)

· Bacalhôa Moscatel de Setúbal Superior 20 anos 1997 (Bacalhôa Vinhos de Portugal)

· Cossart Gordon Madeira Bual 1989 (Madeira Wine Company)

Magnum Wine Radio 213 – Bebes.Comes comemora aniversário com WineSet

O projecto Bebes.Comes, do casal Joana Marta e Pedro Moreira organiza já no próximo dia 12 de Janeiro mais um evento da sua lavra, o Wineset Bebes.Comes 2019, desta feita no espaço Cais à Porta, na zona da Beira-Mar em Aveiro. Em pleno fim de semana de São Gonçalinho, eis que das 15h às 19h, nove produtores irão animar (com um DJ à mistura) os enófilos presentes. Ouça tudo no podcast!

Magnum Wine Radio 201 – A Genética de João Póvoa

O Gene é a razão para uma nova conversa com João Póvoa neste podcast. Já tinha sido entrevistado no episódio 86, onde falámos um pouco de tudo. Esta conversa é mais centrada no GENE, na genética de João Póvoa, numa homenagem sentida e marcante aos pais, recentemente falecidos. A mãe, pouco tempo antes do lançamento de outro vinho célebre e o pai neste Verão marcam indelevelmente a vida adegueira e vitivinícola de João Póvoa.

Este vinho também mostra o que é a Bairrada, o que é a guarda de vinhos. E por isso, antes que se diga que o vinho é caro, convém pensar em tudo: no investimento, na guarda, na apresentação, no produto. E um produto de excelência merece isso tudo!

Fiquem com o desejo de provar Kompassus…

No sábado, gastronomia e espumantes vão casar a Oliveira do Bairro

O Gustavo Maya e toda a equipa do Hotel Paraíso fecham com chave de ouro as Galas Gastronómicas das Estrelas da Bairrada com uma quinta edição que conta com 7 chefs oriundos ou com fortes ligações à Bairrada e com sete espumantes de sete produtores. Uma orgia de bom comer e beber na qual poderá ainda participar pois há (poucos) lugares disponíveis – inscrições por telefone, com toda a informação aqui.

Na cozinha irão brilhar os chefs Armindo Alves, Delfim Soares, Eduardo Maya, Flávio Silva, Gerson Oliveira, Nuno Cabral e Waldeci Marreiros enquanto que as casas produtoras serão algumas que passaram pelas outras galas. E o modelo é igual ao da primeira edição: sete produtores, sete espumante para sete pratos de sete chefs!

O evento contará assim com a presença de

  • Casa do Canto
  • Caves da Montanha
  • Declynio
  • Fernando Martins
  • Quinta dos Abibes
  • Quinta do Alvadeo
  • Quinta do Rifas

Uma noite que poderão recordar daqui a uns dias, num podcast perto de vocês 🙂

Magnum Wine Radio 200 – Sim, são duzentas emissões!

Quando o Fernando Pinho me desafiou a fazer um programa de rádio para a Rádio Vila Nova, eu… pensei duas vezes. Mas aceitei. E este podcast tornou-se um filho muito engraçado. Entrevistas já são mais que muitas e a brincar, a brincar chegamos hoje aos 200 programas! Festas ficam para outras ocasiões 🙂

Nesta emissão falamos da Bairrada, pois claro. Um evento no Porto, no dia 18 de Novembro, no Palácio do Freixo. Ouçam  e aproveitem para colocar na agenda! 🙂

Magnum Wine Radio 177 – Refresh Bairrada é no dia 07 de Julho em Aveiro

Se desde sempre o REFRESH – Espumantes Bairrada era um evento que simboliza a Bairrada e os seus espumantes, também era associado a Coimbra, e em especial às Piscinas do Mondego.

Mas este ano dá um passeio até Aveiro, à cidade dos canais, e apresenta-se na esplanada do Olaria, no Centro Cultural e de Congressos, com organização a cargo da CVR Bairrada.

O evento que junta produtores vitivinícolas e enófilos em torno do espumantes, custa 5 euros (com convite) a 10 euros (sem convite) com direito a flute e decorre das 15h às 20h de dia 07 de Julho, sendo muito fácil chegar de comboio (preferencial) ou de carro, pois realiza-se no centro da cidade. Pela experiência dos últimos anos, a maior parte dos produtores marca presença (cerca de duas dezenas, pelo menos).

Tendo em conta que, em princípio, para o ano este evento volta a Coimbra, lançamos o desafio a todos para se deslocarem a Aveiro e demonstrarem a nossa paixão pelos espumantes!