Magnum Wine Radio 193 – Os espumantes da Casa Senhorial do Reguengo

Rui Oliveira é uma pessoa, como poderão ouvir no podcast, com facilidade de conversar daquilo que o apaixona. E que é os espumantes das terras de Basto. Por isso, terão aqui uma boa conversa, com algumas simpáticas picardias pelo meio mas que demonstram o à vontade com que o Rui trata os espumantes, a sua paixão e os vinhos verdes em geral! Uma entrevista com sabor a Casa Senhorial do Reguengo

Magnum Wine Radio 187 – O Atlântico do Márcio Lopes

Márcio Lopes anda pelos vinhos verdes a reaproveitar vinhas antigas e conceitos diferentes. Por isso não é difícil achar que os vinhos deles são diferentes. Pequenos Rebentos Atlânticos, Pequenos Rebentos Selvagens e a aposta num vinhas velhas Loureiro são as mais recentes apostas (um deles ainda não saiu…) de Márcio Lopes.

Falou-se, neste podcast também dos vinhos do Douro e de outros projetos. Um passeio “atlântico” por Márcio Lopes.

Magnum Wine Radio 185 – Os espumantes da Quinta do Ferro

Nem só da Bairrada e Távora-Varosa vivem os espumantes. Já há muitos produtores da zona dos vinhos verdes que aumentam o seu portfólio com um ou dois espumantes. Mas casas que apostam maioritariamente em espumantes, nos Verdes, conheço poucas e de memória só duas: Casa Senhorial do Reguengo e a Quinta do Ferro.

Aproveitando a presença no Vinho Verde Wine Fest, aqui fica o podcast com a Dama de Ferro Micaela Fonseca. Uma entrevista apaixonante que descreve as virtudes de Baião e da casta Avesso para o vinho-base espumante e o portfólio da Quinta do Ferro.

Magnum Wine Radio 183 – Do Vinho Verde Wine Fest, com amor!

5ª edição da Vinho Verde Wine Fest e 5ª presença minha. A par com a Essência do Vinho, é o único evento que não tenho falhado nos últimos anos. Conjuga de forma hábil o evento de “provas” com a componente festa. Poderia ter mais de uma e de outra? Claro que podia. Mas se nada é perfeito e pode melhorar, o VVWF consegue acertar no seu público, mostrar os Verdes ao Porto e os portuenses e não só aos Verdes.

Tenho assistido a uma clara renovação de marcas, rótulos e tipos de vinho. De empresas. Das caras por detrás dos projectos. Se a Carla Cunha, no podcast, dá uma visão certeira do que o vinho verde pretende, como entidade e instituição, as marcas e projetos que têm estado ao longo destes cinco anos, dão-nos a visão da renovação, internacionalização e pensamento que estão presentes nos novos e velhos actores do vinho verde.

Dêem uma oportunidade aos vinhos verdes. Vão ver que eles os vão entusiasmar. Não percam a excelente entrevista no podcast e, na galeria, alguns dos vinhos mais vibrantes que provei – e outros haveria para publicar…

Magnum Wine Radio 142 – Um Camaleão entre os Verdes

João Cabral de Almeida é o enólogo responsável pelos vinhos da Casa da Calçada e foi por essa razão que fomos conversar com ele. Mas depressa a conversa navegou para outras regiões. Uma conversa camuflada, ou não fosse ele um verdadeiro camaleão dos vinhos 🙂

Tâmega e Sousa dão-se a conhecer

A Comunidade Intermunicipal do Tâmega e Sousa (CIM do Tâmega e Sousa), em articulação com os municípios que a integram e em parceria com a Comissão de Viticultura da Região dos Vinhos Verdes (CVRVV), a Entidade Regional de Turismo do Porto e Norte de Portugal (TPNP) e a Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal (AHRESP) criou um evento enogastronómico para animar os meses de Dezembro a Abril.

A iniciativa, com o nome “TâmegaSousa Vinho Verde Wine Experience refere-se à CIM que está inserida na sua totalidade na Região dos Vinhos Verdes e agregando cinco das suas nove sub-regiões – sub-região de Amarante, sub-região de Baião, sub-região de Basto, sub-região do Paiva e sub-região do Sousa –,  um território de marcada tradição vitivinícola, sendo responsável pela produção de cerca de 50% do vinho da região dos Verdes.

Um produto de excelência que o programa enogastronómico TâmegaSousa Vinho Verde Wine Experience pretende promover junto de um público especializado, designadamente bloggers, críticos de gastronomia e vinhos, wine lovers, entre outros, dando-lhes a conhecer e a provar algumas das mais interessantes castas produzidas no Tâmega e Sousa, aliando-lhes a genuína e deliciosa gastronomia regional.

A decorrer entre 15 de dezembro e 20 de abril de 2018, o programa inclui um conjunto de jantares vínicos, num total de cinco, a realizar em quintas produtoras de Vinho Verde localizadas em cada uma das cinco sub-regiões do Tâmega e Sousa.

O primeiro jantar vínico já se realizou na Quinta da Raza, em Celorico de Basto, concelho integrado na sub-região de Basto, tendo sido dirigido pelo chef Marco Gomes e pelo enólogo António Sousa. Os restantes quatro jantares terão lugar no dia 19 de janeiro, na Quinta do Outeiro, em Castelo de Paiva (sub-região do Paiva), com o chef Álvaro Costa e o enólogo Jorge Sousa Pinto; no dia 16 de fevereiro, na Fundação Eça de Queiroz / Restaurante de Tormes, em Baião (sub-região de Baião), com o chef Nuno Diniz e o enólogo Rui Cunha; no dia 16 de março, na Casa da Calçada / Restaurante Largo do Paço, em Amarante (sub-região de Amarante), com o chef Tiago Bonito e o enólogo João Cabral de Almeida; e no dia 20 de abril, na Quinta da Aveleda, em Penafiel (sub-região do Sousa), com o chef Renato Cunha e o enólogo Manuel Soares.