Magnum Wine Club 167 – Pedro Lemos, um chef apaixonado pelo vinho

Foto de Ricardo Bernardo / Adegga

Há chefs e chefs. Aliás, como tudo. Há pessoas com quem simpatizas à primeira e outros que… não. Há quem se liberte e quem se feche. E há o Pedro Lemos. Sempre que nos cruzámos, o tema foi o vinho. E nesta entrevista, feita junto a vinhos de enorme valia e paixão, o Pedro Lemos, do restaurante com o mesmo nome, mostrou que a sua paixão pelo vinho é equivalente à paixão que sente pela gastronomia e pelos clientes. Por mim, depois de o ouvir, fico com mais vontade de ir ao restaurante. Porque uma casa onde o vinho é vivenciado como um parceiro, é uma casa onde nos sentimos bem. Ouçam com muita atenção o Pedro Lemos!

Mais um workshop para saber mais sobre o bacalhau!

Falar de bacalhau é falar de Ílhavo. É falar da identidade de um povo. Das raízes e das suas gentes. De cultura e de histórias, que se entrecruzam e confundem. Mas falar, hoje, de bacalhau é, também, falar de tecnologia e de inovação É falar de uma realidade social, económica e cultural pungente que, ancorada na tradição ancestral, se constrói, expande e projeta a partir da tradição, do progresso tecnológico e do conhecimento científico.

Desenvolvido pela UNAVE-Associação para a Formação Profissional e Investigação da Universidade de Aveiro (em resposta a um desafio da Câmara Municipal de Ílhavo), o ciclo Bacalhau Com Saberes (*) prossegue na próxima quarta-feira, 28 de março, com um workshop dedicado à demolha.

Quais são as boas práticas e que segredos encerra uma boa demolha. A demolha tradicional e os novos processos. Redução tempo de demolha, otimização de processos, poupança energética, etc… são questões que vamos explorar, colocando em confronto, num ambiente descontraído, o saber científico (produzido na Universidade) e o saber de experiência feito (próprio do mundo empresarial).

workshop terá lugar no navio museu Santo André, na Gafanha da Nazaré, a partir das 18h30, contando com intervenções de Jorge Saraiva, professor, investigador e diretor da licenciatura em Biotecnologia da Universidade de Aveiro, e Guedes Vaz, diretor industrial da empresa Rui Costa e Sousa & Irmão.

Para 9 de abril, anuncia-se já um terceiro workshop, desta vez dedicado à secagem do bacalhau:

“Secagem: do ar livre para o frio” | 9 Abril | 18h30
Local: Empresa Bacalhau do Barents (Gafanha da Nazaré)

Conteúdos: Os novos processos, o frio, redução do tempo de seca, poupança energética, etc… Cura tradicional/cura amarela.

Intervenientes: Fernando Neto, professor do Departamento de Engenharia Mecânica (UA) e António Ribau, administrador da empresa Bacalhau do Barents.

As entradas nos eventos do ciclo Bacalhau Com Saberes são gratuitas, mas sujeitas a inscrição, através do endereço eletrónico josecmaximino@ua.pt ou do telefone 96 347 22 10.

Jantar do Fumeiro no Salpoente foi… saboroso do inicio ao fim

Há semana e meia tive a oportunidade de estar num jantar a seis mãos com a inspiração de Montalegre e a versatilidade dos nossos enchidos, do nosso fumeiro. Não perdi a oportunidade e correu bastante bem. Também tinha a oportunidade, como enófilo que sou, de revisitar os vinhos Head Rock, de Trás-os-Montes, que já conhecia mas que não tinha recordações há algum tempo.

O inicio foi bastante cativante. A mestria do corte de chef Vitor Oliveira, que nos proporcionou um presunto local de elevada qualidade, foi bem acmpanhada de enchidos vários e o branco da Head Rock que dava a frescura (o Alvarinho nestas condições é uma casta curiosa…) que as entradas exigiam. Depois de um belo momento de convívio, os chefs Duarte Eira e Marco Gomes (do Oficina, do Porto) deram largas à sua imaginação, cruzando produtos locais e sabores tradicionais em pratos com um colorido e sabor delicioso. Os produtores da Head Rock estiveram presentes e foram dando referências dos vinhos em prova, cujas harmonizações calharam bastante bem. Bonito, bom, delicioso, o que mais se quer de uma jantar de sábado?

Magnum Wine Radio 130 – A II Gala Gastronómica da Bairrada, pelos produtores!

A II Gala Gastronómica da Bairrada decorreu no passado sábado, com lotação esgotada, no Hotel Paraíso. A descrição estará nestas páginas, bem como fotos do acontecimento. Aqui no podcast damos, mais uma vez, a prioridade aos produtores. Quinta Vale do Cruz, Declynio, Fernando Martins / Quinta do Cavaleiro, Caves São Domingos e Quinta das Bageiras estiveram presentes, a abrilhantar os pratos servidos por chefs da região e conversaram connosco, todos juntos. Um bom momento que podem desde já disfrutar! Bom podcast!

Magnum Wine Radio 122 – Estórias de um Capítulo sobre Bacalhau

A Confraria Gastronómica do Bacalhau nasceu em Ílhavo em 1999 e por isso já conta com 19 anos, e consequentemente, 19 Capítulos, a tradicional refeição anual de grande partilha entre os apaixonados das várias confrarias e dos sabores tradicionais do país.

Mais de centena e meia deles reuniram-se no Museu Marítimo, para assistir à entronização de 4 confrades de honra e 1 efectivo e depois rumaram ao Hotel de Ílhavo onde aconteceu o repasto. Pelo meio, uma visita, em jeito de homenagem, ao Aquário dos Bacalhaus… Foi tipo, para abrir o apetite.

Ao longo dos vários momentos, o Bacalhau foi omnipresente. Pataniscas, punheta, cara, bola, pasteis, bolos de bacalhau, até bolinhos em formato do gadus morhua (espalmado) apareceram… 🙂

Como vêem, a lista do repasto foi muito interessante. Ficámos deliciados com tudo, embora como da região, os sabores já eram por demais conhecidos.

Para o podcast, o nosso convidado foi João da Madalena, o grão mestre da confraria e fomos perguntar também a uma confreira de Valongo o que ela tinha achado. Tudo pelo Bacalhau, o nosso fiel amigo!

Magnum Wine Radio 116 – O Dux dos Vinhos, Luis Moura!

Luís Moura é o verdadeiro Dux dos vinhos. Pois criou, com vários sócios, um conjunto de casas diferentes em Coimbra, Viseu e, numa parceria, em Nelas. Casas de restauração onde o vinho tem o lugar central, para além de petiscos de partilha deliciosos. Fomos conversar com ele sobre a ideia dos vinhos “Dux”. Já colaboraram com Magnum Vinhos, de Carlos Lucas, com quem começaram o projecto, com a Covela (Lima Smith) em dois vinhos feitos mais a pensar no Verão e agora com a Herdade da Raposinha, num Touriga Nacional alentejano. Tudo vinhos muito diferentes. E preparem-se que vem ai um Bairrada! Uma deliciosa entrevista para ouvir!

Sabores com Tradição na altura do São Gonçalinho

No âmbito do programa “Boas Festas em Aveiro”, de 10 a 15 de janeiro, decorre o “festival” gastronómico, “Aveiro, Sabores com Tradição”.

Em tempos de São Gonçalinho, os encontros gastronómicos em grupos e da diáspora aveirense já ganharam tradição nos restaurantes de Aveiro. Desta feita e à semelhança de anos anteriores, os restaurantes da cidade foram convidados a criar um menu atrativo de pratos característicos e representativos de Aveiro a oferecer nas suas ementas, para que se perpetue na memória de turistas e munícipes, os sabores da cozinha tradicional aveirense. A intenção desta iniciativa é reforçar a gastronomia local como elemento identitário da Região no processo de promoção e fruição turística  Aveirense.

Dos menus constarão iguarias bem conhecidas, tais como, Bolos de Bacalhau e Espetadas de Mexilhão, Sopa de Enguias, de Peixe ou Chora/Canja de Bacalhau, Ovos-Moles ou Cavacas, acompanhadas de Vinho ou Espumante da Região da Bairrada, vários Licores de Alguidar e Aguardente da Bairrada.

Louve-se a iniciativa, em especial na parte da gastronomia e na exigência de apresentação de vinhos Bairrada. No entanto, surge-me sempre uma dúvida nestes casos: há restaurantes que fazem parte, de caras, do meu TOP10 em Aveiro e que não surgem aqui…

Os menus disponíveis estão neste ficheiro pdf —> saborescomtradicaoementas.

Os restaurantes aderentes estarão devidamente assinalados quer a partir do exterior quer com menus próprios no interior e são os seguintes:
A Nossa Casa, À Portuguesa, Adega Tia Micas, Arco-da-Velha, Bacalhau & Afins, Cafeína dos Arcos, Cais da Tosca, Churrasqueira do Mercado, Giz Food & Drinks, Marinhas, Mercado do Peixe, Mestre do Leme, O Barril, O Centenário, O Lavrador, O Mercantel, Os Ceboleiros, Porta 36, Rebaldaria, Restaurante do Hotel Imperial, Restaurante Salpoente, Sombras Salgadas, Tasca do Sal, Tico-Tico e Trincadeira.

Tâmega e Sousa dão-se a conhecer

A Comunidade Intermunicipal do Tâmega e Sousa (CIM do Tâmega e Sousa), em articulação com os municípios que a integram e em parceria com a Comissão de Viticultura da Região dos Vinhos Verdes (CVRVV), a Entidade Regional de Turismo do Porto e Norte de Portugal (TPNP) e a Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal (AHRESP) criou um evento enogastronómico para animar os meses de Dezembro a Abril.

A iniciativa, com o nome “TâmegaSousa Vinho Verde Wine Experience refere-se à CIM que está inserida na sua totalidade na Região dos Vinhos Verdes e agregando cinco das suas nove sub-regiões – sub-região de Amarante, sub-região de Baião, sub-região de Basto, sub-região do Paiva e sub-região do Sousa –,  um território de marcada tradição vitivinícola, sendo responsável pela produção de cerca de 50% do vinho da região dos Verdes.

Um produto de excelência que o programa enogastronómico TâmegaSousa Vinho Verde Wine Experience pretende promover junto de um público especializado, designadamente bloggers, críticos de gastronomia e vinhos, wine lovers, entre outros, dando-lhes a conhecer e a provar algumas das mais interessantes castas produzidas no Tâmega e Sousa, aliando-lhes a genuína e deliciosa gastronomia regional.

A decorrer entre 15 de dezembro e 20 de abril de 2018, o programa inclui um conjunto de jantares vínicos, num total de cinco, a realizar em quintas produtoras de Vinho Verde localizadas em cada uma das cinco sub-regiões do Tâmega e Sousa.

O primeiro jantar vínico já se realizou na Quinta da Raza, em Celorico de Basto, concelho integrado na sub-região de Basto, tendo sido dirigido pelo chef Marco Gomes e pelo enólogo António Sousa. Os restantes quatro jantares terão lugar no dia 19 de janeiro, na Quinta do Outeiro, em Castelo de Paiva (sub-região do Paiva), com o chef Álvaro Costa e o enólogo Jorge Sousa Pinto; no dia 16 de fevereiro, na Fundação Eça de Queiroz / Restaurante de Tormes, em Baião (sub-região de Baião), com o chef Nuno Diniz e o enólogo Rui Cunha; no dia 16 de março, na Casa da Calçada / Restaurante Largo do Paço, em Amarante (sub-região de Amarante), com o chef Tiago Bonito e o enólogo João Cabral de Almeida; e no dia 20 de abril, na Quinta da Aveleda, em Penafiel (sub-região do Sousa), com o chef Renato Cunha e o enólogo Manuel Soares.

Portugal com mais 2 estrelas e 2 restaurantes com estrelas Michelin

Os resultados do Guia Michelin Espanha e Portugal 2018 foram anunciados na quarta-feira, dia 22 e já sabemos que há dois novos restaurantes portugueses a receber uma estrela. São eles: o Vista, do hotel Bela Vista, na Praia da Rocha (Portimão), do chefe João Oliveira, e o Gusto, do Hotel Conrad, na Quinta do Lago (Almancil), que tem o alemão Heinz Beck como chefe consultor. De realçar que Tiago Bonito conseguiu, em seis meses, segurar a estrela obtida pelo André Silva no Largo do Paço, o que não é normal pois os fiscais do Guia costumam “multar” estas mudanças de chef.

A lista completa dos restaurantes Michelin é esta, com clara expressão maior em Lisboa e Algarve

1 estrela

Alma (Lisboa, chef Henrique Sá Pessoa)
Antiqvvm (Porto, chef Vítor Matos)
Bon Bon (Carvoeiro, chef Rui Silvestre)
Casa de Chá da Boa Nova (Leça da Palmeira, chef Rui Paula)
Eleven (Lisboa, chef Joachim Koerper)
Feitoria (Lisboa, chef João Rodrigues)
Fortaleza do Guincho (Cascais, chef Miguel Rocha Vieira)
Gusto by Heinz Beck (Almancil, Chef Heinz Beck e Daniele Pirillo)
Henrique Leis (Almancil, chef Henrique Leis)
LAB by Sergi Arola (Sintra, chefs Sergi Arola e Milton Anes)
L’AND (Montemor-o-Novo, chef Miguel Laffan)
Largo do Paço (Amarante, chef Tiago Bonito)
Loco (Lisboa, chef Alexandre Silva)
Pedro Lemos (Porto, chef Pedro Lemos)
São Gabriel (Almancil, chef Leonel Pereira)
Vista (Portimão, chef João Oliveira)
William (Funchal, chefs Luís Pestana e Joachim Koerper)
Willie’s (Vilamoura, chef Willie Wurger)

2 estrelas

Belcanto (Lisboa, chef José Avillez)
Il Gallo d’Oro (Funchal, chef Benoît Sinthon)
Ocean (Alporchinhos, chef Hans Neuner)
The Yeatman (Vila Nova de Gaia, chef Ricardo Costa)
Vila Joya (Albufeira, chef Dieter Koschina)

Magnum Wine Radio nº2 – Daniel Cardoso e os Vinhos do Armazém da Alfândega

Neste segundo programa, entrevistámos Daniel Cardoso, chef executivo do Armazém da Alfândega para saber porque é que ele escolheu os vinhos que escolheu para a carta do seu novo espaço, em Aveiro.